Tráfego orgânico vs. Tráfego pago: quais as diferenças?

  • Tráfego orgânico vs. Tráfego pago: quais as diferenças?

Se você é daqueles que adora ler os nossos artigos sobre Marketing Digital para aprender mais sobre o assunto, já deve ter se deparado com os termos tráfego orgânico e tráfego pago, certo?

Apesar desses termos darem algumas dicas, você sabe qual a diferença entre eles ou qual é o mais adequado para a sua empresa? É o que você vai descobrir no artigo de hoje. Acompanhe!

O que é tráfego pago?

Vamos começar nosso artigo pelo tipo de tráfego mais comum para as empresas: o tráfego pago. O próprio nome já indica as principais características desse tipo de visitação.

Podemos definir o tráfego pago como o tipo de visitas no seu site que são originadas de anúncios publicados no Google através de links patrocinados.

Uma empresa pode anunciar no Google através do programa Google Adwords, onde a empresa interessada determina uma verba a ser oferecida em um leilão virtual com outras empresas do mesmo segmento.

Assim, a empresa que oferecer mais vai aparecer em uma posição melhor nos resultados das buscas feitas pelos usuários do Google. Todo o tráfego que uma página conseguir por meio dessa estratégia é denominado tráfego pago.

O tráfego pago tem algumas características derivadas da sua própria natureza. Para começar, os seus resultados não são duradouros, ou seja: o tráfego pago existe enquanto a empresa pagar por ele. Quando os recursos forem retirados, as visitas também serão.

Por sua vez, o tráfego pago possui um retorno mais rápido e um ROI bem melhor que o tráfego orgânico a curto prazo.

O que é tráfego orgânico?

Agora que já vimos o que é o tráfego pago, não é difícil deduzir que o tráfego orgânico será o seu oposto.

Entendemos como tráfego orgânico todo aquele tráfego originado de motores de busca sem o uso de links patrocinados, ou seja: os resultados obtidos pelo seu site no Google sem a necessidade de investir em anúncios.

Os resultados do tráfego orgânico costumam ser melhores que os do tráfego pago. Em média, o primeiro lugar orgânico das pesquisas costuma ficar com 36% dos cliques, enquanto os links patrocinados ficam entre 4% e 20%.

Porém, o tráfego orgânico demora mais para gerar resultados, especialmente quando falamos de nichos ou mercados mais competitivos, com sites que dominam os resultados há bastante tempo.

Além disso, o tráfego orgânico pode ser “mais difícil”, já que existem mais de 200 fatores que influenciam os resultados nas buscas do Google e pode ser complicado otimizar seu site para todos eles.

Qual é o melhor para mim?

Agora chegamos na questão primordial: qual é o melhor para a sua empresa, o tráfego pago ou o tráfego orgânico? Como você já deve ter deduzido, não há um “melhor”, e sim um mais indicado para cada situação.

O ideal é que a sua estratégia de marketing digital contemple estratégia de tráfego orgânico, mas também ações de tráfego pago para poder obter o melhor dos dois mundos.

Para quem está começando, o ideal é investir mais em tráfego pago para obter um retorno mais rápido e ir direcionando recursos aos poucos para a sua estratégia de tráfego orgânico.

Quando sua página já estiver bem consolidada, pode ser interessante manter os links patrocinados para palavras-chave com muita concorrência orgânica e investir mais no orgânico quando houver pouca concorrência.

Agora que você já sabe a diferença entre tráfego pago e tráfego orgânico, que tal compartilhar este artigo nas suas redes sociais? Marque os amigos que podem se interessar pelo assunto e ajude-os em suas estratégias de marketing!